Unhas fracas? Sinal de que está faltando alguma coisa!

Recebo muitas mensagens sobre o assunto no direct do Instagram (siga @dra_thaissapenteado que diariamente coloco uma dica, curiosidade ou informação sobre dermatologia), então, decidi reservar um tempinho desta semana para escrever a vocês, amigas e seguidoras, que sofrem com este problema. Porque, afinal de contas, ninguém merece aquela sensação de unha quebrada!

A primeira coisa que podemos começar esclarecendo é que é um problema muito comum entre as mulheres, mas que indica alguma anormalidade em seu organismo, ou seja, um desequilíbrio no mesmo.

Você sabia?

As unhas são formadas de queratina, sendo a grande responsável por seu crescimento. Contudo, para que elas cresçam saudáveis, é necessária uma grande variedade de vitaminas, aminoácidos e minerais.

Quais as causas?

O enfraquecimento das unhas é ocasionado devido à deficiência de vitaminas por má alimentação, fatores de doenças crônicas, como diabetes, anemia, alterações na tireoide e até ações do dia a dia que cooperam para o seu enfraquecimento. Isso é, podem ser provocadas por alterações hormonais, pós recuperação de procedimentos cirúrgicos ou enfermidades.

Quando o assunto é alimentação, as unhas frágeis podem ser sinal de deficiência de importantes compostos como cálcio, ferro, zinco, selênio, complexo B ou proteínas. Vale a pena você ficar atenta, pois este problema pode também estar relacionado a hipersensibilidade alimentar ou a uma alergia, uma vez que, neste caso, ocorre uma alteração da permeabilidade intestinal e, consequente, um déficit na absorção de nutrientes provenientes da alimentação

Sigam as dicas!
  •         Evite o uso constante de acetona e esmaltes à base de tolueno,
  •         Evite roer as unhas, o contato com microtraumatismos locais e a retirada completa das cutículas (elas são importantes pois têm a função de proteger e impedir a passagem de água e outras substâncias nocivas para dentro da matriz da unha);
  •         Fiquem atentas à umidade excessiva, pois pode ocasionar inflamações nas matrizes germinativas e interromper temporariamente o crescimento e desenvolvimento das unhas;
  •         Mantenha as cutículas bem cuidadas;
  •         Fique sem esmalte por volta de 10 dias no mês;
  •         Faça o uso diário de hidratantes para as mãos;
  •         Evite a exposição prolongada à água e a produtos químicos como detergentes e desinfetantes;
  •         Aumente o consumo de vitaminas, proteínas e minerais, através de alimentos como leite, ovo e vegetais escuros.
  •         E, por último mas não menos importante, como médica não recomendo em absoluto o consumo de suplementos vitamínicos ou outros medicamentos por conta própria. O auto-medicamento é perigoso e pode agravar ainda mais alguns casos.

Por Dra. Thaissa Penteado

Dermatologista associada da SBD.
CRM 120.792 – RQE 34115